segunda-feira, 1 de julho de 2013

Losangos e Quadrados

Dia desses fiquei entediado
Não havia nada de diferente que eu pudesse fazer
Na TV, nada de interessante havia para assistir
Até que lembrei-me que fazia tempo
Que eu não encostava-me na varanda
Para apreciar a paisagem
Outrora eu via a imagem como um todo
E, ainda que houvesse prédios
Conseguia ainda admirar as montanhas por trás deles
Mas quando cheguei até a varanda
Centenas de losangos da rede de proteção
Não me permitiam ver toda a paisagem
Mas apenas cada pedaço dela
Parecia um quebra-cabeça recém montado
Olhei então para cada losango de uma vez
E o todo agora era apresentado com suas particularidades
Num eu via uma doméstica estendendo a roupa no varal
Noutro um casal trepando na sala
Em mais um, um rapaz fazendo musculação
E ainda em outro, duas amigas se maquiando
Voltei para o losango do casal, mas
eles já se encontravam em outra posição em outro losango
Nas ruas os carros trocavam de losango com rapidez
A doméstica agora estava no losango das prateleiras do quarto
Parecia que eram os losangos que se moviam
Em vez das pessoas
Mas percebi que havia um sem ação alguma
Um senhor sentado na poltrona da sala
Assistindo o quadrado da TV
Pois dava para ver a luz da tela mudando
Sobre o seu corpo troncudo, e era a única coisa que mudava
E ali permaneceu o dia inteiro
Comecei a pensar na possibilidade de estar morto
Mas ele se levantou e, ainda no mesmo losango
Trocou o canal e sentou-se novamente
Foi então que eu percebi que losangos são melhores que quadrados


Vinni Corrêa
01 de agosto de 2006

Vista da varanda de onde moro com a presença do Bill

Vista da janela de onde moro com a presença da Mel

Vista da varanda de onde moro com a presença do Pôr do Sol

Nenhum comentário:

Postar um comentário