sexta-feira, 5 de julho de 2013

Sempre Assim Desse Mesmo Modo

Depois de tudo
Depois daquela noite sombria
Fora dos nossos olhares
Por trás da imensa energia
Atravessava contudo o céu
Rasgando-o profundamente
E quando as luzes se apagam
E se acendem repentinamente
As horas passam e você intacta
Traindo a sua própria confiança
Desperdiçando o seu precioso tempo
Dentro de você ainda uma criança

Traçando a sua própria trajetória
Sem olhar para baixo
Um vôo sem asas
Há poeira lá embaixo
Não vejo o que há por trás de você
Mas sei muito bem o que é
Uma menina que não quer crescer
Não quer viver a vida como ela é

Quem é que quer saber?
Quem é que quer fazer?
Quem é que pode dizer?
Quem é que pode ser?
É sempre assim desse mesmo modo


Vinni Corrêa
09 de agosto de 1999


René Magritte - O Império da luz

Nenhum comentário:

Postar um comentário