sexta-feira, 5 de julho de 2013

Só Outro Dia

Assim olho dentro de mim mesmo
E ainda vejo os dias quando eram somente dias
Segui minha vontade de vencer
Algo na minha frente e tudo na minha vida
Colocarão flores mortas em nossos túmulos
Não temo o dia de amanhã
Mas temo o que virá depois do fim
Se é que existe um fim...
Se é que existe um fim...

As terras desertas por que passei
Não vi nada acontecer
Por muito tempo estive isolado
Provei a dor que nunca mereci ter
Defrontando os caminhos desconhecidos
A cada noite era um pouco pior
Sempre muito mais frio
Sentia-me vazio...
Sentia-me vazio...

Venha amor
Venha aqui
Venha e diga
Hoje é só outro dia

Permita-me ser seu companheiro
Pelas noites vagas que você passará
A lua não é nossa inimiga
Ela a ajudará a me encontrar
O que é correto é o que pode ser dito
Minhas palavras levam a liberdade
Calmo, vejo tudo ao meu redor
Ao meu redor...
Ao meu redor...

Você participa do meu jogo
Ao chamado do coração
Eu resido dentro de você agora
Bem próximo do seu coração
Sua face mostra insegurança
Liberte-se e deixe que flua lentamente
Não posso correr para longe daqui
Longe daqui...
Longe daqui...

Venha amor
Venha aqui
Venha e diga
Hoje é só outro dia


Vinni Corrêa
21 de setembro de 1999


Renè Magritte - O Terapêuta

Cundo Bermúdez - Mujer Multicolor

Nenhum comentário:

Postar um comentário