segunda-feira, 1 de julho de 2013

Sonho ao Luar

Essa sua beleza, ela mesma uma flor
Não suportaria sua futura dor
Escondendo-se do mais profundo rancor
Minha amada, eu quero o seu amor
Nossas correntes correm juntas
Nas lagoas mais profundas
Sobre o seu corpo uma intensa magia circunda
Não irei esquecer-lhe nunca
Mergulho direto ao seu encontro
Cercado pelas águas, um confronto
Aos poucos aos seus prazeres eu vou me expondo
Enlevando-lhe até o seu mais alto ponto
Amortecida a dor você se entregaria
Totalmente, e a brisa nos conduziria
Ao anoitecer quando a lua viria
E completaria, enfim, a nossa magia

Essa sua beleza, ela mesma uma donzela
Que traz consigo a dor impressa
Mas que também não me impeça
De almejar aquilo que me completa
De leve o seu corpo eu beijava
Com seus movimentos me encantava
Assim a natureza nos aceitava
Maravilhosa noite como num conto de fadas
Seus lábios suaves e doces
As pernas cobertas de violetas que eu trouxe
De que outro jeito fosse
Belo e prazeroso tornou-se
Muitas vezes relembro aquele dia
Que estar no céu parecia
Aquela noite novamente eu gostaria
Mas por onde você andaria
Se apenas em meus sonhos estaria



Vinni Corrêa
07 de janeiro de 2003

Marc Chagall - Nue Aux Violettes

Nenhum comentário:

Postar um comentário