domingo, 2 de março de 2014

Nada

O nada me inquieta.
Falar nele é falar de coisa vã.
Coisa vã que me inquieta,
Como quando dizemos "não há nada entre nós".
E entre nós há tantas coisas que supomos vã,
Mas vão além da nossa consciência.
E se é tão vão o que há entre mim e ti
Como o mesmo ar que respiramos,
Como o mesmo alimento que comemos,
Como a mesma água que bebemos,
Como a mesma célula que nos deu origem,
Como a mesma sociedade que estamos a construir,
Como os mesmos sonhos que estamos a dividir,
Pode haver um vácuo, um vazio, mas nunca um nada.
Mesmo no vácuo do universo
Há quantidades mínimas de energia.
Mesmo no vazio de tua alma
Há um vestígio de esperança.
Pode haver um vácuo, ou até um vazio, entre nós
Que haverá um espaço a ser preenchido por algo.
Mas quando o nada te completa, nada completar-te-á.



Vinni Corrêa
03 de fevereiro de 2008



Consuelo Mariño - Presença no Vazio

Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário