domingo, 2 de março de 2014

O Mergulho

Prestes a mergulhar neste mar emergente de façanhas. Experimentar cada água, parte funda e parte rasa: sonhas com as Ilhas Virgens. Não encontras a gota suficiente que te deixe molhada, mas os peixes querem somente o teu sal, tua domesticada língua com veias que fazem caminhos para as libações. Queres deitar com quem em tua cama d'água? Neste mar tu és peixe também, devoras homens que caem em tua rede, não és sereia mas canta, és peixe-aranha que envenena tuas presas. Que águas queres se nudez é tua armadilha? As algas transparecem tuas coxas suaves e harmoniosas. Bebes de uma água onde não afundas teu corpo murmurado, e nestas águas preferes nadar, pois teus pés cabem em conchas que valem mais que qualquer úlcera que tu provocas. Mergulhas nas profundezas de tua própria alma. 


Vinni Corrêa
30 de julho de 2008



Vladimir Kush - Breach

Siegfried Zademack - Das Experiment mit der Schwerkraft

Nenhum comentário:

Postar um comentário