domingo, 2 de março de 2014

O Vôo do Reflexo

Em um instante teu olhar
Na cândida cama espelhada
De reflexos bocejados a escapar um murmúrio
Forçando a câibra dos lençóis
Os quadros retirados deixaram insetos nas paredes
Dos meus olhos a ver-te em sombra
E ver-me, eu mesmo, diante
De uma lâmpada derretida
Esguichando o sabor delirado destas
Asas que batem à porta que habita a cama
Ânfora que esparrama por todo o quarto
O bocejar dos reflexos que desdouram
O forno que assa o travesseiro 


Vinni Corrêa
21 de outubro de 2009



Jean Cocteau - Profiles

Nenhum comentário:

Postar um comentário