domingo, 2 de março de 2014

Ressonância

Nele havia uma ilusão oral, dizia palavras que se pronunciavam como outras, ora dizia um vocábulo que se verbalizava com atraso ou adiantadamente, quando não, a palavra se sonorizava em algo distante, como quando uma vez que disse mar e seus lábios, de forma marchada e rachada, conduziram a que fossem gesticulados os movimentos de M A R, mas, a bimbalhada da campainha, como um estranho a incomodar na madrugada, expressou naturalmente a pronúncia P A R A F U S O. Não é como minha sogra mandar a filha ir para a panela quando queria dizer cama, pois de fato foi gesticulado e dito panela, apesar de ter sido pensado cama. O que estou a explicar é que meu amigo é como o violão em que o músico pressionando a casa da nota Lá faz soar o som do Si bemol. Não há nada de errado, é apenas a sua ressonância.



Vinni Corrêa
07 de abril de 2010



Victor Brauner - Gemini

Nenhum comentário:

Postar um comentário