terça-feira, 27 de outubro de 2015

Corta!

Na primeira cena a personagem se despe e permite que a água morna caia sobre o seu corpo que já virado para o telespectador abraçado estão os seios escondidos da câmara próxima cena ela esparrama-se na cama com o amante sob os lençóis  trepam violentamente sussurros enlouquecidos gemido do gran finale ele precisa levantar-se ir ao banheiro levanta-se tapando as mamas a seguir o retorno nova cena os biquinhos em nenhum momento à mostra deita na cama as tetas ainda enlaçadas por um dos braços enquanto o outro puxa de volta o lençol que o pudor cinematográfico se foda


Vinni Corrêa
poema do livro Coma de 4


Nenhum comentário:

Postar um comentário